Do fumo.

Arde.

Arde mais que mato, apagado às lágrimas de desespero do povo que vive da terra a arder.

Fumega o chão, debaixo dos pés de quem vive do dever.

 

O Inferno é quente, quarenta graus à sombra, porque arde, mas isto não é o Inferno e arde igualmente.

publicado por Gualter Ego às 16:41 | link do post | comentar