Introdução à vida aborrecida de um serial killer I

Pois sabe ele bem que não é o maior exemplo de virilidade que se pode citar, nem sequer pêlos no peito ele tem, mas, nestes dias assim, sente-se o homem mais frio e indolente, que por aqui habita. Não baixa a cabeça, não suspira, não verte lágrima alguma.

Tira uma vida, morre alguém e parte de alguém e a sua cara não manifesta sinal nenhum de pesar ou luto.

Ninguém pode suster tamanha mágoa e agonia, sem sequer deixar cair uma minúscula lágrima.

A resposta é simples: tem ele outra maneira de chorar, agarrado à faca, cravando a lâmina fria na carne quente.

 

Dá-lhe prazer, sentir a dor nos olhos do indivíduo, inferior a ele, considera, a degolar. Dá-lhe prazer, sentir o sangue morno do animal racional caçado, escorrer-lhe pela cara.

publicado por Gualter Ego às 23:24 | link do post