Amor como nos filmes II

- Matei-a. - confessou ele, em voz alta.

E, no fundo, aquela sensação mórbida de matar um ser humano, causou-lhe um certo prazer.

 

publicado por Gualter Ego às 18:28 | link do post