Diálogo.

- Odeias-me?

- Não, claro que não.

- Ainda bem, porque eu odeio-me.

- Porquê?

- Porque sou louco.

- És? Quero ser como tu, então.

- Odiar-te-ias a ti própria. Eu odeio-me porque é isso que eu sou, eu.

- "Tu achas que não, mas tu és mesmo bom a ser sempre quem és."

 

publicado por Gualter Ego às 23:15 | link do post