Morrer é arte.

Morrer é uma arte.

Como todas as artes provêm do engenho e da imaginação, há que ter tais atributos a nível físico, ou até metafísico, para ter uma morte minimamente mais digna que a do resto dos plebeus.

A minha morte será excepcional, quiçá irónica, o melhor tipo de morte.

publicado por Gualter Ego às 16:45 | link do post