1. (2)

Os meus dedos tocam o vidro da janela,

Tentando tocar o Sol poente,

Que se vai escondendo por detrás daquele monte

Que tapa o horizonte.

 

Hoje vou dormir mais feliz,

Porque sei que,

Se não chegar a acordar,

Ao menos levo um pôr-do-sol digno de recordar.

publicado por Gualter Ego às 21:45 | link do post | comentar