Amor. (parte 2)

Terminou o seu cigarro e pisou-o, depois de o atirar ao chão.

Voltou para dentro e abriu uma gaveta de um armário da cozinha. Remexeu tanto no conteúdo da gaveta, que Mary chegou a abrir os olhos, fechando-os imediatamente a seguir.

Tom tirou da gaveta uma faca de proporções avantajadas e olhou a lâmina de cima a baixo.

Dirigiu-se ao quarto, lentamente, como se de um cortejo fúnebre se tratasse.

Abriu a porta do quarto e perguntou:

-Amas-me?

Mary abriu os olhos, sorriu para a figura ainda meio enevoada que supunha ser Tom e sorriu. Foi então que reparou na faca que Tom trazia na mão direita.

-Amas-me? - repetiu Tom.

Mary desviou o olhar para as vidraças, onde, do outro lado, estava o mar.

-Responde! - ordenou Tom.

-Não. - disse Mary.

-Obrigado. - disse Tom, poisando a faca.

 

 

publicado por Gualter Ego às 12:20 | link do post | comentar