Quid juris?

Todo o poeta é filho de Blimunda,

Todo o poeta tem uma alma imunda;

Todo o poeta é a alegria da lágrima por ser salgada,

Nascer assim é querer tudo e contentar-se com nada.

publicado por Gualter Ego às 19:45 | link do post | comentar | ver comentários (2)