Sexta-feira, 07.01.11

Salve.

Salve tu,

Cheia de tudo,

Bendita sois vós,

Entre as mulheres

E as gotas da chuva.

 

Bendita sejas,

Meu amor,

Meu leito de morte,

Lancinante grito mudo.

A ti me curvo.

publicado por Gualter Ego às 21:12 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Dedo.

Mexo um dedo. Agora, mexo o outro. Mexo-os porque quero, em príncipio, mas, obstante fados ou arbítrios, mexo, isso é certo. Mesmo o observador mais confuso, apanhado de repente nesta corrente imagética precoce, consegue ver que isto que se move, são os meus dedos dos pés. Mexo-os brincando com o pescoço da figura que está na televisão. São meus. São os meus dedos dos pés.

Isto é uma tesoura. Aquilo já não é um dedo do pé. É só um pedaço de carne avulsa e pertinente.

Não és minha carne, por isso nunca te poderei cortar para longe e fora de mim. Amo-te.

publicado por Gualter Ego às 20:46 | link do post | comentar | ver comentários (3)
origem

Follow me, e assim...

origem

links

arquivos

Janeiro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
17
19
25
26
28
29