As potencialidades do Acordo Ortográfico.

A empresa do indivíduo que montou as caleiras da minha habitação chama-se TonyTectos. Ao abrigo do acordo ortográfico, será lógico que o senhor adopte uma das principais cinco medidas, que é a supressão das consoantes mudas. Até aqui, tudo bem, mas é sabido que no latim - e nas línguas novas derivadas deste, incluindo a nossa - as consoantes mudas servem para abrir a vogal precedente, ou seja, a empresa do senhor vai passar a chamar-se TonyTetos, leia-se TonyTêtos.
Ah, mas isso é estúpido, lê-se como já se lia, não estejas com merdas ó pseudo-tudo, que isso de pôr cês e pês antes de não sei quê eu nunca acertava e lixou-me a vida e fiquei com o nono ano incompleto por causa desses negócios. Epá, tudo bem, eu não concordo com Acordo Ortográfico e vou ter que comer e calar, mas acontece que, na parte inferior do logótipo da empresa do sujeito, encontram-se os principais serviços que o senhor presta aos seus clientes: montagem de caleiras, marquises e tetos falsos - o Acordo Ortográfico, não basta ser uma medida com objectivos puramente económicos, para ajudar às relações politico-económicas com os PALOP, como não respeita a dignidade do proletariado.

Meus senhores, assim não dá!

publicado por Gualter Ego às 15:37 | link do post