Um dia.

Um dia hei-de te cozinhar um jantar divinal.

E vamos comê-lo à luz das velas e os pedestais vão ser garrafas, porque eu sempre quis fazer isso.

E depois vai adormecer no meu peito e eu vou-te afagar o cabelo.

publicado por Gualter Ego às 23:59 | link do post