E corri.

I ran. I ran until my muscles burned and my veins pumped battery acid. And then I ran some more.

 

- Fight Club, David Fincher, 1999

 

 

Começar textos com citações de filmes de culto tem pinta.

Quando corro gosto de me imaginar num filme. Mas uma coisa séria!, com banda-sonora e cenas de perseguição.

Quando corro - sim, este é o terceiro páragrafo que faço em três linhas de texto - fico todo vazio e só sinto os rins e ainda assim é só quando me doem, mas isso é um pormenor dispensável desta narração.

Este novo vício (já conto três: café, coisas em que o Jack White toca e, agora, correr) foi-me passado, qual herança, qual testemunho, por uma madame muito digna da confeitaria nacional. Se bem que ela corra, por dia, aquilo que eu corro numa semana, já não me custa nada fazer um par de milhas marítimas em passos largos.

Faz as pessoas mais contentes, é saudável e reduz exponencialmente a média semanal relativa à masturbação. E também te deixa com uns gémeos, refiro-me aos músculos, que só de olhar é um regalo.

Todos os dias por volta as oito da noite, saio e dou uma volta de, sensivelmente, dois quilómetros.

 

Babies don't sleep this well.

publicado por Gualter Ego às 20:24 | link do post