111111113

Passam já vinte e três minutos

Das zero horas do vinte e nove de Maio

Deste ano infame e desembraiado

Chove

E nada mais se move.

C

   h

      o

        v

          e como quem a entorna,

A chuva das chuvas,

A ira das iras,

Este nosso deus tem incontinência,

Ora faça favor, vossa excelência.

publicado por Gualter Ego às 00:21 | link do post | comentar