Trovoada.

Choraram-se as naturais lágrimas.
(…)
João Francisco Mateus deixou um quintal e uma casa velha. Tinha um cerrado no alto da Vela. Levou anos a limpá-lo do pedras até que a enxada pudesse cavar em terra fofa. Não valeu a pena, as pedras já lá estão outra vez, afinal para quem vem um homem a este mundo.
 

— José Saramago, Memorial do Convento

publicado por Gualter Ego às 20:56 | link do post