Entrada.

Não será urgente tal querer, sequer será necessidade, mas temo pela minha régia sanidade. O revolver das horas, a ventania das pessoas, o arrastar das carnes; perdoai-nos as nossas ofensas.

publicado por Gualter Ego às 22:48 | link do post | comentar