Tropeçar também é cair.

O photograma perpétuo da repetição dos dias;

Diluir a alma, destilar o corpo.

Aqui estou em palavras,

Em ti estou em photographias.

 

 

 

 

Café, para acordar os mortos.

publicado por Gualter Ego às 17:15 | link do post | comentar