1.2.3.

O que te corre nas veias é veneno,

O que vejo em teus olhos: maldade.

Eu, tu e o nosso amor, é tudo o que está mal no mundo.

Da perdição à santíssima trindade.

 

Viajo no teu cheiro,

Cenário em que poiso minha face esquerda

No teu peito.

Pego em teu corpo com a minha voz:

- Ao nosso amor, padeço por inteiro.

publicado por Gualter Ego às 21:43 | link do post