Ciúme.

Tratos violentos,

Alegres, enebriantes desalentos.

Teu fulgor, tua pele quente,

Teu olhar que não me mente.

 

Aquece-me,

Dá-me lume,

Acende-me pelo coração,

Este frio é a razão,

Que não deixa haver ciúme.

publicado por Gualter Ego às 04:53 | link do post | comentar