Repetição escarlate

Perante o sangue escarlate,
Que por ti foi derramado,
Calou-se o mundo, abismado,
Ao ver amor tão encarnado.

Se te conheço no fundo do copo,
Dor de alma que aquece a garganta
Do coitado apaixonado que canta
Conheço a poço dos teus olhos,
Que não é mais que a dor das minhas noites.

 

E a noite congela o ar,
A humidade e os homens que dele vivem.

Meu coração está congelado há muito tempo;

Resta-lhe amar por amar.

publicado por Gualter Ego às 19:11 | link do post