Mudar.

Posso declarar que tudo o que vejo se torna em mórbido desejo de escrever, que a pureza se anula, nos meus olhos, que tu és o frio que me viola a carne, me destrói a racionalidade e retira a beleza de tudo o que é, por natureza, belo.

Que seja amaldiçoada raça humana e o pensar! Que morra a luz, que no escuro os meus olhos te encontraram! E, se achas que não, as minhas mãos o farão, se me sentir perdido, como hoje me sinto, mas mais hábil, engenhoso, talentoso do que nunca. Acordei um animal, de manhã, faz hoje um ano, mas mantinha a minha forma humana. Feliz ou infelizmente.

 

 

 

"Quando Gregor Samsa despertou, certa manhã, de um sonho agitado viu que se transformara, durante o sono, numa espécie monstruosa de insecto."

publicado por Gualter Ego às 19:17 | link do post | comentar