Sou.

"I will hold the candle, 'till it burns up my arm."

 

Esperarei por ti até ganhar raízes.

Suspirarei por ti até o meu bafo congelar.

 

Mas diferença faz, se estou sozinho?

 

Já dizia um conhecido meu que a solidão é a pior coisa neste mundo.

E é.

 

Esqueci-me de como se fala.

Esqueci-me do sabor dos alimentos e do cheiro da terra molhada.

Esqueci-me de como se fazem contas de somar e subtrair e esqueci-me do sabor dos beijos dela.

 

Esqueci-me de como se chora. Perdi a capacidade de chorar, de tanto que já chorei eu.

Eu já nem sei o que é o frio e o calor. Já não sei o que é tomar banho. Já não sei o que é sonhar. Eu nem sequer me lembro do que é a dor carnal. E como poderia, se o que me dói não é a carne?

Sou um monte de massa disforme que pensa. Sou a vela que arde e derrete. Sou pó.

 

Volta. Preciso-te.

 

 

 

publicado por Gualter Ego às 16:58 | link do post | comentar