Neve.

"Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria…

(...)"
 

O caminhar altera-se quando se palmilha a terra coberta de neve. O olhar brilha. As mãos crescem e o nariz enregela.

Há tanta calmaria: não há barulho nenhum.

Deixa-me cair. Frio não me aflige, ensinaram-me a tremer ainda era eu um bebé.

 

Anda comigo.

 

 

publicado por Gualter Ego às 16:25 | link do post | comentar