Coração.

De entre o suor, o gemido.

Da boca para fora, as palavras.

 

Meu amor, sou apenas responsável pelo meu próprio coração. Se me ofereceste o teu e ele acabou partido, foi burrice tua.

Não devias ter dado, assim, de mão beijada, um orgão tão vital.

publicado por Gualter Ego às 15:33 | link do post | comentar