Retrospectiva.

2030

 

Onde estão as perguntas para as respostas que achavamos saber?

Onde é que se manifestam, nos meus pés, as estradas que prometi a ti, e a mim, que atrevassaria?

Onde é que está o sonho boémio, concretizado?

 

Não tenho nada, dentro de mim é sempre noite.

publicado por Gualter Ego às 20:31 | link do post | comentar