#15

 

Estou morto.
Estou morto porque ainda não nasci, e se assim quissesse, assim o faria.
Mas não existir e estar a escrever é um feito, não haja dúvida, mas hoje, não existo.
Não sou matéria, não sou cromossoma, não sou célula, não sou cabelo, olhos ou orelhas.
Sou energia.
A energia que aquece o frio e esfria o gelo.
A energia independente que precisa de ti.
O que é que queres?, hoje sinto-me assim...
 
Ah. Nasci.
Estou a tremer, de frio.
Tremo, logo existo.

Tocam as harmónicas e os acordeons.

 

Gritam as pessoas, o meu nome.

 

Desculpa não te ter avisado.

 

Desculpa não te ter convidado, mas foi repentino.

 

Nasci, e foi involuntariamente.

 

 

publicado por Gualter Ego às 22:17 | link do post | comentar