...

It’s funny how the colors of the real world only seem really real when you viddy them on the screen.

As memórias como que se abatem sobre nós. Construímos castelos com elas, sobre terrenos pantanosos de expectativas.As cores nunca são as mesmas, as leis nunca são as mesmas, mas a sensação de o ter vivido porque outro o viveu, se é natural nos sonhos, não pode ser natural na vida. E é por isso - ou deve ser por isso - que sinto uma dormência agrandar-se dentro de mim, como uma estrela que morre, sentir o que outro sentiu sem o trabalho de tocar, semicerrar os olhos a uma luz que nunca nos foi apontada, ficar com desejo de uma mulher que nunca nos viu. Tudo se assemelha demasiado portentoso para uma compreensão tão ingénua como a minha. É triste uma vida que cria verdades do sentir. (Mas as mentiras, ah, como elas me seduzem.)

publicado por Gualter Ego às 23:28 | link do post | comentar