Piaf.

Lembrar as goteiras que vertiam, chorosas, pingo a pingo, a levada de um Outono a findar. Lembrar o cheiro da tua cama, do teu travesseiro e do teu cabelo. Lembrar todas as voltas e geometrias do teu corpo, como se me baptizasse de ti, por ti e em ti, em nome do calor e de todas as coisas, visíveis e invisíveis, enquanto Mme Piaf adivinhava que ici c’est comfortable.
Soubesse ela o quanto.

 

publicado por Gualter Ego às 23:06 | link do post | comentar