A Primavera #1 (Joana)

Joana caminha para casa,

De braço cruzado,

Semblante apertado

E face sisuda.

 

Lábios cortados

Pela expressão triste e simpática

De quem não quer

Ir estudar matemática.

 

Afinca os olhos no chão

E não repara em mim.

Aceno, mas não se me dá em nada:

Não será por mal; fico-me assim.

 

E agora Joana,

De blusa cinzenta,

Pisa o asfalto das cores que inventa,

Caminha para casa,

De braço cruzado,

Paço acelerado,

Semblante apertado

E face sisuda.

publicado por Gualter Ego às 18:59 | link do post | comentar