Isto é uma canção.

Sinto calor,

Esta noite, meu amor,

Só os cães se fazem ouvir,

Esta noite, meu amor,

Eu vou ganir.

 

E a geada vai baixando,

Pela rua eu vou cantando,

Este amor só faz mal a ti,

Porque tu nada sabes de mim.

 

Dói, dói-me as costas,

Dói-me os pés,

Não sei contar de um a dez,

Porque foi demais,

Copos infernais,

Repetir jamais.

 

Oh, a quem minto eu (?),

E olho p'ró céu,

Ir dormir jamais

E dói.

 

Dói-me a garganta,

Esta água é benta e santa,

E a preocupação,

As coisas do coração,

Olvida tudo o que é bom,

Tudo o que é razão

E bom-senso,

E eu já não sei o que penso,

E se penso é errado,

Este é o meu fado:

 

Não saber se o meu pensar

É pensar mais do que te amar,

Pensar que te amo,

Achar que te quero,

Desejos animais,

Toque de veludo,

O vinho é agudo

E o canto é segredo,

O sussurro é a medo,

Mas nada,

Oh, nada,

Me vai levar à cama.

 

Mas depois vens tu,

Vem o frio e o rancor,

Vem a mágoa e a dor,

A vergonha, grito ardente,

Pão de ontem, entre o dente,

No buraco, dá a fome,

Não importa se põe de lado ou se come,

Esta noite tu és minha,

Esta noite vais-me sentir.

 

Esta noite, meu amor,

Em que só os cães se fazem ouvir,

Uoh!, tu vais... ganir!

 

publicado por Gualter Ego às 03:43 | link do post | comentar