Toque.

No fim toquei em tudo do que em mim tocou e o meu erro foi esse, tocar.

 

No toque desvanece-se o desejo de ter, de possuir, de cheirar, de beijar.

No toque desaparece a electricidade dos olhares e o frio das mãos.

 

Espero estar errado.

publicado por Gualter Ego às 20:00 | link do post | comentar